sábado, 29 de dezembro de 2012

Por um novo Mundo Rural

No meio desta crise, começa a ser novamente debatido o regresso às actividades produtivas.
Boa parte das nossas potencialidades passa, necessariamente, pelo "regresso" ao mundo rural. 


O conceito de mundo rural foi nas últimas décadas desconsiderado. É fundamental que se perceba que boa parte das nossas potencialidades produtivas estão associadas à Agro-Indústria e à Silvo-Pastorícia. É na agricultura de qualidade, na produção silvícola, na pecuária DOP e depois nas actividades relacionadas (agro-industrias associadas - vinhos, sumos, conservas, etc) e ainda o Eco-Turismo, que nos é possivel reconstruir uma sociedade produtiva e equilibrada.




Com a internet e com as novas infra-estruturas, a própria ruralidade está hoje muito mais ajustada a ser um bom investimento, gerador de emprego e de riqueza.
Há que apostar na qualificação, na definição de objectivos tangíveis em matéria de qualidade e de exigência e legislar para permitir voltar às aldeias. 
As aldeias portuguesas, hoje ainda semi-abandonadas, são claramente o sinal de que ainda não começámos a retoma. A retoma passa inevitavelmente por esse regresso, sustentável, a um novo mundo rural.




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Este corredor já cá canta!

E assim foi este dia 14 de Dezembro de 2012. O dia de inauguração do Corredor Verde de Monsanto.
Uma obra de muitos anos e de muita gente. A ideia é sem dúvida do Prof. Gonçalo Ribeiro Telles mas a obra, como também o disse o próprio na inauguração, é dos Lisboetas.
Muitos técnicos, muita gente trabalhou para que este corredor estivesse concluido. Desde o próprio Gonçalo Ribeiro Telles que projectou dois parques no corredor, mas muita gente mais entre técnicos camários, empresas, parceiros. 
Uma palavra para José Sá Fernandes e António Costa: 
O Primeiro porque não descansou enquanto não resolveu os inúmeros obstáculos que havia pela frente para que este corredor se concretizasse e pudesse cumprir a sua promessa. Neste dia 14 de Dezembro muitos sais de fruto devem ter sido tomados por muita gente...e conhecendo os projectos e obras em curso, prepare-se desde já os sais de fruto, já que a este, outros se seguirão.
O Segundo porque abraçou esta ideia de braços abertos, criando ao mais alto nível as condições políticas para que se pudesse trabalhar com este objectivo.
Muita gente está de parabéns mas estes três Homens da foto em particular ficam para a História da Cidade de Lisboa.



























quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

É já amanhã! (Corredor Verde de Monsanto)


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Vamos fingir que...ou retrato da nossa Bolha Imobiliária (por Pedro Bingre do Amaral)

Por Pedro Bingre do Amaral, retirado do "facebook" 
AQUI


Bruxelas estima que os apartamentos em Espanha devem embaratecer em 75 % antes de serem adquiridos pelo "banco mau" — a entidade semi-pública encarregada de assumir os prejuízos da bolha imobiliária. Esta conclusão faz recordar um estudo do Banco Internacional de Compensações (Bank for International Settlements), publicado em 2010, que anunciava uma desvalorização em 85 % dos preços do imobiliário português…

Mas enfim, continuemos a fingir que o problema português resulta das despesas na Saúde e Educação públicas sob o encargo do Estado. 


Continuemos a fingir que o problema de Portugal são os salários supostamente elevados dos portugueses, e a rigidez dos direitos laborais de uma população cuja maioria dos trabalhadores com menos de 40 sofre a precariedade do regime de recibos verdes.

Continuemos a fingir que a dívida privada portuguesa respeitante ao imobiliário e construção soma mais de 190 mil milhões de euros, e se encontra em condições de "

negative equity". Continuemos a fingir que a maioria das hipotecas contraídas em Portugal nos últimos 20 anos não são perfeitos exemplos de "subprime". Continuemos a fingir que neste país onde 1,8 dos 5,6 milhões de habitações estão vazias, há uma família a ser despejada a cada 40 minutos.

Continuemos a fingir que não construímos, entre 1985 e 2010, uma casa nova a cada seis minutos, 24 horas por dia, 365 dias por anos. Que entre 1990 e 2009 a dívida hipotecária não cresceu 2300 %. E que dois terços dessa dívida não se destinaram a cobrir custos de construção, mas pura e simplesmente a pagar o preço especulativo do solo.

Continuemos a fingir que o resgate da tróica não é, afinal de contas, a factura de uma bolha imobiliária cujos principais beneficiários estiveram e continuam estando isentos de impostos graças aos privilégios fiscais dos Fundos de Investimento Imobiliário e das sociedades sediadas em Zonas Francas.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Visitantes em jardim de 4m2


O meu "jardim" de 4m2 na minha varanda é uma brincadeira. 
Uma dezena de vasos, outra tanta variedade de espécies, algumas cultivares, entre elas trepadeiras.
E quem tem aparecido nos últimos dias neste espaço? Quem diria?


video

sábado, 1 de dezembro de 2012

Crataegus punctata

Foram plantadas 143 árvores no corredor verde de Monsanto nos dias 30 de Novembro e 01 de Dezembro.

Entre as várias espécies, uma chamou-me a atenção pela sua beleza. Conhecia o Crataegus monogyna (Pilriteiro) mas não este Crataegus punctata.





 
Site Meter